27 de Maio-Dia Internacional da Doença Inflamatória Intestinal (DII)

young-woman-holding-abdomen

Hoje é o Dia Internacional da Doença Inflamatória Intestinal, você sabe o que é isso? O termo doença inflamatória do intestino (DII), abrange um grupo de doenças em que os intestinos ficam inflamados (vermelho e inchado), provavelmente como resultado de uma reacção imune do corpo contra o seu próprio tecido intestinal.

Dois grandes tipos de DII são a colite ulcerativa e doença de Crohn. Tal como o nome sugere, a colite ulcerativa está limitada ao cólon (intestino grosso). Embora a doença de Crohn pode envolver qualquer parte do trato gastrointestinal desde a boca até ao ânus, essa mais frequentemente afecta o intestino delgado e /ou cólon.

 

Colite ulcerativa e doença de Crohn são condições complexas com vários graus de intensidade de sintomas e severidade da doença. Quando há inflamação grave, a doença é considerada como estando em uma fase ativa, e a pessoa passa por ‘surtos’ ou ‘episódios’ de sintomas. Quando o grau de inflamação é baixo (ou ausente), a pessoa geralmente não tem sintomas, e a doença é considerada em remissão.

 

Nutrição e IDD

Uma alimentação adequada é extremamente importante tanto na fase ativa quanto assintomática da doença. Nos períodos de ausência de sintomas aconselha-se uma dieta balanceada e com o objetivo em manter o organismo bem nutrido. As recomendações gerais são de incluir no dia-a-dia:

 

  • 8-10 copos de água por dia para evitar a desidratação
  • Carboidratos ricos em fibra solúvel (farelo de aveia, legumes e cevada)
  • Proteínas, como carnes magras, peixes, ovos, nozes, aves e soja
  • As gorduras saudáveis ​​como o ômega-3, azeite de oliva e azeite de canola
  • Frutas e legumes de cores escuras cozidos (sem pele e sem sementes)
  • Suplementos vitamínicos e minerais, caso o seu médico aprove
  • Derivados do leite/cálcio (substitutua se você é intolerante à lactose)

 

Já durante um episódio de sintomas a recomendação nutricional passar a ser de uma dieta rica em calorias (devido à inflamação presente no organismo), alta em proteína, baixa em gorduras (cerca de 20% das calorias) e baixa em carboidratos simples e que possam causar gases. Fibras insolúveis e lactose também devem ser restritas e as refeições devem ser divididas em pequenas porções (cerca de 8) ao longo do dia para evitar desconforto intestinal.

Essas são apenas recomendações gerais para pessoas que possuem DII. É de extrema importância que haja um acompanhamento médico e de uma nutricionista ou nutróloga para um tratamento adequado já que cada paciente apresenta um quadro único.